terça-feira, 15 de novembro de 2011

Do zero

Vc me da mais uma chance?
Posso me apresentar de novo
Ir mais devagar em cada passo
Continuar andando de salto
Esquecer que o tempo existe.
Posso fazer cada etapa de cada vez
Deixar de lado a insensatez
Dizer que amo só uma vez
Quero ouvir minha voz chamar seu nome
Sentir de perto meu próprio rubor
Dizer o que sinto sem pudor 
Quero você a todo o momento.
Desde que te conheci
Nao penso em mais ninguém
Nao consigo viver aquém
Desse nosso sentimento.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Ansiedade

Tira esse rubor da minha face
Acaba com esse ar de adolescente
Me desfaca dessa cara de boba
Me ajude a controlar a respiração.
Lembre das coisas boas
Vamos recomeçar do zero
Nao posso ficar sem você
Vem me fazer enlouquecer.
Me da tudo que eu preciso
Vem ser meu companheiro, meu melhor amigo
Vamos mudar nosso mundo!
Juntos agora e pra o tempo que vier
Deixa eu ser sua mulher
Todos os dias e todas as noites.
Vem acabar com essa ansiedade
Apaga esse medo de nao te ter
Nao sei mais o que fazer..
Nao agüento mais esperar para ser feliz.

Velho amor

Um dia me declaro
Digo em voz alta esse meu amor
Deixo a pele mostrar o rubor 
Sentir isso eh tão raro...

Um dia ainda procuro
Esqueco todo meu orgulho
Reconheço meus erros do passado...
Um dia vou atras, eu juro.

Nem que seja pra acabar
Pra nunca mais pensar
Pra parar de me sentir assim
Pra saber que nao tenho você pra mim...

Nao sei o que fazer...
Se fujo ou se me entrego,
Sei que nao vou te ter...

E eh maior essa agonia ainda
Quando nem sei mais o que escrever e fazer
Com essa dor que nao eh bem vinda.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Impossibilitada

Nao posso postar o que quero
Sei que você vai ler...
Nao posso dizer o que sinto
Só a mim vai doer
Nao posso guardar esse amor
Apesar de me fazer sofrer 
Nao posso sair por ai
onde for pensarei em você
nao posso escolher outro
Pois nenhum vai satisfazer
Nao posso muitas coisas
Porque você nao esta comigo
Nao sei se há algo que eu possa 
A nao ser te esquecer...

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Alegrinha

A vontade bate assim
Quando fico mais alegrinha,
Depois de uns momentos de carência
Ou Quando quero alem de mim.

Eh sempre o mesmo desejo
Relembro o que passei
Memorizo o que nao vivi
Imagino o que as vezes prevejo.

Nao existe nada de fato real
Apenas umas ilusões coloridas
E uma vontade enorme de ser
nasci para ser leal.

Nao sei Se terei algum dia
Ou se vai ser um e se...
Mas Tenho os nos na garganta
E uma doida melancolia.

Enquanto penso se pago pra ver
decido me esconder sob versos
Tenho medos de nao dar certo.
O que faço pra te ter?!

sábado, 24 de setembro de 2011

Shana tova!

Este ano eu aprendi. Todo ano aprendo muito. Mas este ano talvez mais que outros.
Aprendi a respeitar a mim mesma, a rever meus limites, a reconhecer mais o mundo.
Percebi que muitos erros sao aceitáveis, mas que o silencio do orgulho nao. Percebi também que quando erramos e sabemos disso sentimos culpa. E essa culpa me faz reconhecer que nao sou lá essa verdade absoluta (rs). 
Por isso, hoje exponho minha humildade, minha falhas e meus arrependimentos. 
Peco perdão pelos mal entendidos, pelo nao dito, pelo dito demais. Desculpo-me pelas más atitudes, pelos erros em excesso e pela ausência na hora errada.
Reconheço que sou menos gente sem vocês. E que sou menos nada ainda se nao souber ser humilde.
Portanto, mesmo que seja uma vez ao ano, mesmo que so nesse espiritual momento, que esta data nao passe em branco nunca.
Desculpe-me pelo meu silencio de nao ter dito antes que errei.

Shana tova!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Livro

Nas páginas brancas letradas
Um vazio descrito que dizem ser meu.
Nao conheço o enredo
Muito menos sei que fim se deu.
Devo ler essa história e matar a curiosidade?
Ou devo guardar o nao lido na memória?
Um dia , outro dia, abro esse livro.
Se nao for hoje, talvez depois.
E descubro todo o motivo ou toda a imaginação 
E assumo em que Partes faz parte de mim ou nao.

Bom dia

Após um tempo dormindo
Esquecido em um mundo de sites
Eis que meu blog me chama de volta
A explorar minhas novas verdades.

Nao sei o que virá por ai
Nem sei se muito estará
Mas se um pouco puder dizer de novo
Já matarei minha ansiedade.

Espero falar como sempre
Pra nenhum ou pra todos
Assim desde o começo
Esse blog nao tem vaidade.

Welcome back!

domingo, 5 de junho de 2011

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Moção

Como se mede a traição?
Eh um beijo na boca,
Ou sentir tesao?
Seria entrar na sua vida
E nem pedir perdão
Sem licença pra invadir
Ou mandato de busca e apreensão.
Há quem diga que eh só no físico
E também na intenção
Pois eu digo que eh aquilo
Que trai nossa noção.
Seja por atos com terceiros
Ou por atos de invasão
Sem motivos alheios
Sem esperar um senão
Nao existe maior dor
Do que sentir no coração
Que toda aquela pompa
E aquele aperto de mão
Nao valeu de nada
Em nenhuma cotação.
Fica aí em versos claros
A minha moção.

Carrego a culpa do mundo
Da história que nao vingou
Das mentiras omitidas
E das verdades nunca ditas.
Sinto todo o julgamento
De uma justiça unilateral 
No meu banco apenas ré.
Mas nada gravado em fita.
Sei que eh só meu
Esse problema que ainda levo
De nao deixar escorrer
E de nao perder de vista.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Dieta

De tanto nutrir sentimento, acabei ficando gorda.

Falta

Dentro uma Dor
Uma flor, um amor
Que nao sofre, nao brota nao sente.
Uma vontade de ser diferente
Um desejo de nunca mais ser.
Na boca aquele sabor
De saudade do que nao passou
Um aperto de ter como sou
Aquilo que eu quero tanto.
Nao sei ficar mais distante
Nao sei deixar na estante
Como premio, ou itinerante.
Queria ser o bastante
Pra nao sentir essa falta constante
Do meu próprio coração.

Meias saudades

Parei de acreditar nas verdades
Pois só eu credito veracidade 
Cansei de meias saudades
E de palavras ditas sem tempo

Cansei de dizer o quero
Nada nunca sai como espero
Meu placar nao sai do zero
Nao quero expectativas ao lento

Jurei nunca mais agir assim
Mas ainda há um resquício em mim
Uma vontade louca de dizer sim
Toda vez que muda o vento.

À vida

As vezes aos poucos a vida se esvai
Nem mesmo um louco sabe onde vai
O próprio corpo em minutos cai
A vida eh tão curta, nao tem mais.
Em quando o começo eh muito bom
E do assobio se extrai todo som
Ate pra quem nasce sabendo seu dom
Ou pede licença e perde seu tom
A vida eh tão curta, marca de batom
Nem sempre da vida se pode dizer
Que só se sofreu e nao teve prazer
Os dias felizes sempre voltam a ser
Verdade, certeza, Que nao da pra prever
A vida eh tão curta, nao da pra reter
De tudo que se espera tem um fim
 nunca se sabe quem leva o sim
Talvez eu esteja mais longe de mim
Depois que a saudade partir enfim
A vida eh tão curta... acaba assim

sábado, 21 de maio de 2011

Sopro

Em todos os respiros
Sinto seu cheiro
Lá no fundo
Quase apagado
Pedindo pra ser renovado.
Que tipo de feitiço
Você me jogou?
Nao consigo descobrir seu artificio.
To tão ansiosa que mal posso falar!
Respirar virou osso do ofício
E pensar ta casa vez mais difícil.
Quero tanto...
E por querer tanto assim
Nao sei mais nada de mim!
Apenas sei que sinto um sopro
Toda vez que tento dizer
Sempre que pede o meu corpo,
Que ouço meu próprio suspiro...

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Quero mais

Gosto de ouvir meu próprio sopro
Quando sussurro baixinho seu nome
Parece que minha boca declara por inteiro 
A vontade de estar ao seu lado
Adoro repetir seu nome varias vezes
Como se isso trouxesse você pra perto
Suspiro só de pensar no seu corpo
Deitado ofegante e cansado
Depois de passar horas curtindo a dois.
Nao sei se estou apaixonada
Ou se eh só encantamento
Mas quero tudo de novo
Vamos repetir aquele momento?

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Sem cinto

De tudo, o que mais me falta eh a segurança.

Verdadinha

Hoje me bateu uma dorzinha
Uma saudade... Uma vontade.
Sei que nao devo mas gostaria
De mais uma vez dizer a verdade.
Mesmo que doa, mesmo quando soa mentira.
Nao sei escolher as palavras certas
Nao sei quais Sao as erradas.
Mas ainda tenho em mim um pouco de você.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Salto alto

As vezes eh só uma saudade pouca.
Noutras uma coisa louca.
Eu já nao mando no meu corpo.
Nao decido meu gosto.
Apenas escolho o salto e a roupa.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Eu e minhas perolas

Nao vou tirar meus brincos de pérola.
Nao vou olhar no espelho e esquecer de tudo.
Nao vou dizer inverdades.
Nao vou fingir que Nao sofri.
Nao vou pensar que o fim Eh pra sempre.
Nao vou dizer que deixei de amar.
Nao vou fazer falsos julgamentos.
Nao vou fingir que Nao sinto ciúmes.
Nao vou querer outro igual.
Nao vou encontrar outro igual.
Nao vou ganhar flores ao acaso.
Nao vou deixar tudo no descaso.
Nao vou me tornar desconhecida.
Nao vou tirar voce da minha vida.
Nao vou dizer mais nada. 
Nao preciso dizer que ainda Te amo.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

ainda o fim

ainda posso dizer que te amo?
que fico triste sem você?
que até brigar me dá prazer?
não quero ficar longe
mas não sei amar de perto.
você entende meu problema?
tento sair deste dilema
mas às vezes é tão difícil.
não estou por aí
você não está aqui...
já não sei o que quero
não sei mais se espero
se procuro, se tento.
não sei se choro,
se esqueço, 
se me arrependo.
sei que dói.
alguma coisa dói bastante.
e não sei o que é,
mas deste final eu sei
que não gosto nada.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Pausa

Foi maravilhoso. Eu sempre tive medo de relacionamento. Sempre pensei 2, 3, 4 vezes pra me deixar entrar numa relação. Ainda bem que entrei na relação com você. 
A gente teve defeitos, agiu mal, perdeu um pouco (bastante) o senso, e por isso mesmo é que foi tão natural. Eu não guardo mágoas, não guardo ressentimentos e nem penso em dizer algo ruim. Eu amei tudo.
Durou 5 meses. 5 meses que eu na verdade nem imaginei que existiriam. E aí eu não só comecei a namorar, mas como decidi fazer isso independente da nossa imensa distância. Levei você pra casa. Conheci a sua mãe.
Eu sabia que estava fazendo o que eu tinha que fazer, o que eu queria fazer de verdade.
E foi tudo lindo. Tudo demais!
Eu gostaria de continuar fazendo parte da sua vida. Sei que você não é uma pessoa qualquer. Você é parte dos 20% do mundo que prestam!! Heheheh
Eu amo você. Amo o que você me fez sentir. Amo o fato de termos tentado fazer dar certo.
Nem tudo sai como a gente quer, às vezes. Mas é muito bom saber que eu e você quisemos. 
Em qualquer relação as pessoas erram. E vão continuar errando. Fico muito feliz em ver que apesar dos nosso erros, fechamos este capítulo assim, com declarações "escondidas" e sem raiva do outro.
Você vai ser pra sempre o primeiro namorado sério da vida. O primeiro "genro", o primeiro oficial.
E se este é mesmo o fim, que bom que é baseada em você que vou escolher minhas próximas relações.
Estou escrevendo com o choro na garganta mas escrevo feliz.
Porque você foi o melhor homem da minha vida.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Mais uma partida

Às vezes parece brincadeira
Um jogo que uma hora vai acabar
Entre duas crianças.
Como se fosse apenas por um momento
E até sem importância real.
Como quando a Barbie beija o Ken
Ou quando o Coronel Mostarda mata a facadas na sala de estar.
Eu achei que era assim.
Como uma partida de tabuleiro
Em uma brincadeira de criança.
E agora percebo que a partida é outra
Que de criança apenas é o choro e a sensação de estar perdida sem tudo isso.
Eu sei que joguei errado
Não lancei os dados
E que acabei pulando rodada e queimando largada.
Mas assim como no jogo
Às vezes da pra começar de novo
Sem passar por cima de nada.

Quero ser sua namorada.

Ausência

Está faltando a poesia.
A saudade em letras miúdas
Em ritmos curtos
E cânticos de alegria.

Está faltando meu prato
A fome avassaladora
Que não suporta distância
Que não se promete em contrato.

Está faltando demais
Um pouco de tudo que não tenho
Que tive em tempo breve
Que ainda me dava certa paz.

Está faltando felicidade
Mesmo que em poucos versos
Ainda que com letras miúdas.

Está faltando dizer a verdade
Que às vezes não me falta nada
Mas que ainda isso não é tudo.

Afogada

Estou oca
Como se uma enchente houvesse levado tudo
sem avisar
Lambeu toda a mobília
E não deixou nada por inteiro.
Me sinto molhada
Com a umidade desmanchando meu corpo
...dedos enrugados de quem tentou mergulhar pra salvar algum destroço.