domingo, 5 de junho de 2011

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Moção

Como se mede a traição?
Eh um beijo na boca,
Ou sentir tesao?
Seria entrar na sua vida
E nem pedir perdão
Sem licença pra invadir
Ou mandato de busca e apreensão.
Há quem diga que eh só no físico
E também na intenção
Pois eu digo que eh aquilo
Que trai nossa noção.
Seja por atos com terceiros
Ou por atos de invasão
Sem motivos alheios
Sem esperar um senão
Nao existe maior dor
Do que sentir no coração
Que toda aquela pompa
E aquele aperto de mão
Nao valeu de nada
Em nenhuma cotação.
Fica aí em versos claros
A minha moção.

Carrego a culpa do mundo
Da história que nao vingou
Das mentiras omitidas
E das verdades nunca ditas.
Sinto todo o julgamento
De uma justiça unilateral 
No meu banco apenas ré.
Mas nada gravado em fita.
Sei que eh só meu
Esse problema que ainda levo
De nao deixar escorrer
E de nao perder de vista.